1 de mar de 2010

Blasé

Ultimamente as pessoas têm me surpreendido muito, eu não sei e não quero nunca saber o que acontece com a pequena mente desses "cristãos”, elas me fizeram crescer espiritualmente e mentalmente e é por isso que agradeço, mas tenho dó.
Por que passam por tanta coisa e não conseguem tirar nenhum proveito disso, diferente de mim. Que passei a valorizar pequenos momentos, mesmo que sejam só meia hora sentada com os amigos em um banco da praça, ou um cinema com desconhecidos, uma Fanta emaconhada.Pequenas coisas que jamais irão voltar a acontecer na minha monótona adolescência.
Porem é essas que eu mais gosto, elas não voltarão, algumas pessoas que participaram dela também não, mas os mais importantes sempre ficam. Irei conhecer pessoas novas e irei repartir momentos até mais legais com eles, bom não sei se da pra comparar, mas as pessoas irão ser mais interessantes.
Eu vou mudar, e para melhor se o ser humano não evolui com o mundo e com a moda, se torna um ignorante. /bgs...
Não irei mais brigar com crianças que acabaram de sair das fraldas ou do berçário, as pessoas a quem me refiro tem entre 14 e 18 anos.
Os 'homos erectus' daqui do Brasil,bom melhor deixar lembranças ruins pra lá.
Vou tentar descrever o show da Fresno,apenas tentar...
Tarde nublada do mês de maio, dia 17 (faltando dois meses pros meus 16), confesso que não estava a fim de ir, pois o dia estava úmido e escuro, decidi que iria, pois se não perderia 25 reais, materialidades a parte...
Chegando ao clube comercial nos deparamos com uma fila não tão grande, mas com muita gente amontoada e tosca.
Nossa sorte foi ter encontrado um amigo da malvada G, o M, ele cedeu uns lugares para nós '-' (furamos fila sim!).
Foi tanta frescura para chegar até ao palco que não dá vontade de comentar, então prefiro deixar em off,e pular para a parte da abertura do show; Banda daqui de Uruguaiana,na época eu curtia algumas músicas e até não foi tão ruim,o ridículo é ter que presenciar o extremismo de coisas tão pequenas e sem sucesso.
Demorou algum tempo, depois que a banda de abertura saiu do palco, até que eu avisto uma carinha desconhecida e linda espiando a multidão. E quem espiava era o Vavo,desligam as luzes exalam gelo seco e entra a tão esperada Fresno,berros,berros,gritos,eu não lembro exatamente a 1° música,mas acho que foi Pólo,letras perfeitas,um som perfeito,bateria perfeita,guitarra,baixo,vocalista,tudo PERFEITO...mas quando o Lucas cantou Não quero lembrar é que eu desmoronei.Naquele momento eu saquei tudo que acontecia ao meu redor,eu senti o maior dó de mim,olhava para todos os lados e não enxergava quem eu desejava,graças a isso que minha sensibilidade falou mais alto,fomos pra fila do camarim,esperamos e nada.Percebi que ali não íamos conseguir nada, então decidi baixar e ficar no banheiro,10 minutos no banheiro,abrindo e fechando as janelas do banheiro feminino.
Tivemos que sair, pois iriam fechar a bagaça, malvada G disse que tínhamos que ficar ali naquele lugar, pois tinham pouquíssimas pessoas dentro do comercial, nós, as duas bandas, seguranças e cinco ou mais garotas.
Subimos as escadas, porta do camarim avistei o Lucas e o Esteban jogando sinuca, e o Vavo tomando água mineral,o Bell jogado numa poltrona.
Eu posso dizer com todas as certezas que aquele momento foi o mais incrível que eu participei... Todos foram hiper simpáticos conosco, diferente de os daqui de Uruguaiana, bom isso quem sabe eles reflitam e pensem melhor.
Alguns detalhes do show foram retirados, como: algumas pessoas desfilando no palco e eu gritei pra se retirar e nunca mais desfilaram em palco nenhum.
E os homos erectus citados, e 'desejados' foram removidos da minha superior-mente.
                                                                                                                      beijinhos,pequena J.

Um comentário: